Ao viajar para outro país é sempre uma mão na roda estar por dentro de algumas conversões. Se você está de malas prontas para a França, conheça quatro conversões básicas que podem ajudar a evitar situações embaraçosas, além de oferecer mais segurança para lidar com questões do dia-a-dia no país. Além de ter à mão dados práticos importantes na rotina local, saber converter é no mínimo demonstrar que você já aprendeu um pouco mais sobre uma cultura diferente da sua de origem. 

Conjugue bem os cifrões

Embora seja cada vez mais comum o uso de pagamentos eletrônicos de vários tipos, é sempre bom ter dinheiro em espécie para compras, refeições, taxi, gorjetas, e até como prevenção para o caso de a tecnologia falhar. E estar por dentro do câmbio daquele dia para fazer o cálculo de conversão das moedas facilita. Com uma avaliação bem embasada do valor dos produtos e serviços que você estiver prestes a adquirir, consequentemente você fará um uso muito mais eficiente do seu dinheiro. 

Tudo normal

Uma curiosidade: o sistema métrico decimal, o mesmo que utilizamos aqui no Brasil, nasceu na França. Hoje, no mundo todo, os únicos países que na realidade não o adotam são Estados Unidos, Libéria e Mianmar. Por isso, na França, a unidade básica de comprimento, por exemplo, é o metro e para massa é o quilo, igualzinho aqui. 

Questão de energia

Primeiramente, se você pretende usar equipamentos brasileiros na sua estadia no país da Tour Eiffel, prepare-se. Será preciso um adaptador de tomadas e um conversor de voltagem, caso seu aparelho seja 110 volts. A França toda possui um sistema padrão, diferente do nosso, e caso não tenha como acoplar seu equipamento em um dispositivo que sirva nas tomadas de lá, não haverá como utilizá-lo. 

Outro ponto é que a voltagem padrão do país é de 230 volts, assim como a amperagem é de 50hz. Para equipamentos brasileiros de 220 volts a opinião dos especialistas é um pouco divergente quanto à possibilidade ou não de utilizá-los lá, além de nossa amperagem ser um pouquinho mais alta, de 60hz. Pelo sim, pelo não, leve-os, mas compre um transformador. 

Manequins e manequins

Se você resolveu fazer compras de souvenirs e presentinhos e não conhece as modelagens oferecidas na França, pelo menos saber converter os tamanhos será de grande utilidade. Basicamente, no que diz respeito a calçados, a numeração da França é dois números acima da numeração brasileira. No tocante a vestuário, é o contrário: a numeração do Brasil é que é dois números acima. Isso para setor feminino adultos. Para homens, os sapatos seguem a mesma proporção das femininas. Para crianças, a conversão até 8 anos, é um número acima para roupas e segue empatado até o número 16. Nos sapatos, a França tem numeração um número menor. De preferência, se possível, o melhor mesmo é experimentar. 

Agende uma aula-degustação com um de nossos professores e inicie o seu aprendizado da língua mais charmosa do mundo.

Categorias: Blog